CD de marchinhas juninas será lançado no Troféu Gonzagão 2018

 Obra reúne mais de vinte artistas com o intuito de resgatar os grandes clássicos juninos

Tem tanta fogueira, tem tanto balão, tem tanta brincadeira e todo mundo no terreiro faz adivinhação…” O trecho da saudosa marchinha junina descreve, com propriedade, a singeleza e tradição das noites de São João festejadas no Nordeste. Marchinhas como esta, ainda povoam a memória de muitas pessoas que festejavam a chegada da chuva, a fartura da colheita do milho verde: elemento essencial nas festas juninas da referida região.

Foi rememorando essas lembranças e preocupado com a preservação das mesmas que o cantor paraibano Flávio José, que será uma das grandes estrelas homenageadas pelo Troféu Gonzagão 2018, reuniu vários cantores nordestinos para gravar um CD inédito que resgata as antigas marchinhas juninas, não tocadas no mercado fonográfico, e que podem ser apagadas do contexto histórico e cultural brasileiro.

De acordo com o cantor, “a ideia foi apresentada aos artistas que fazem o forró “pé-de-serra” para a gravação de um disco que reunisse clássicos juninos para resgatar o espírito musical do São João e também movimentar a cena musical realizada pelos mesmos” explicou.

O evento resulta de uma realização conjunta do Instituto Intercultural Brasil (INBRA), da Prefeitura Municipal de Campina Grande e do Sebrae Nacional, entre outras grandes marcas e instituições locais e nacionais.

Para os realizadores do evento, os dentistas Ajalmar Maia e Rilávia Cardoso, a noite de gala da música nordestina promete grandes surpresas para o público e os mais de 150 artistas presentes, será um momento de extrema celebração e grandes emoções.

Sobre o cantor Flávio José – Ele chega muito discreto, é avesso a holofotes. Homem franco, sério no que diz, íntegro no que faz. Bastam apenas dois minutos de conversa para entender que com ele é assim: sim é sim, não é não e pronto! É um homem de poucas palavras. Muito mais de ouvir! Seu negócio mesmo é cantar! E quando canta, sua voz ruge feito cascata! É fina fonte, límpida, clara e forte como as grandes torrentes.

E como se cantar não fosse suficiente, ele ainda esbanja uma extraordinária habilidade e naturalidade com seu acordeom, instrumento que toca desde os sete anos de idade, conforme revelou ao contar que certa vez sumiu de perto dos pais – durante uma festa em sua cidade – e só foi encontrado horas depois, paralisado ao “pé do palco”, absorvido por aquele instrumento. De lá pra cá não parou mais.

Flávio José é aquele artista que nos primeiros acordes é possível perceber que a puxada daquela sanfona tem uma assinatura, basta que execute as primeiras notas para que o público seja arrebatado por sua voz carregada de sentimento e pertencimento de tudo que ele interpreta. De acordo com o cantor e compositor Nando Cordel, “Flávio tem uma lágrima na garganta”.

Em resumo, Flávio José é um dos nomes mais expressivos e prestigiados no cenário do forró brasileiro. É um artista inconfundível.